5 Problemas gerados por fiscalização

  • Fênix consultoria

Ao abrir um salão parceiro, um dos problemas que mais encontramos em nossos clientes aqui na Fênix Contabilidade é a fiscalização e como ela fecha esses estabelecimentos com multas pesadas, que dificultam completamente o processo de reabertura, especialmente para quem está montando um negócio com poucos recursos.
Não ter uma contabilidade ajudando nesse sentido faz com que esses pequenos empreendedores sofram muito com os riscos altos de fiscalização capazes até mesmo de fechar as portas do salão definitivamente, como já falamos. No texto de hoje, trouxemos algumas informações relevantes sobre esse assunto, explicando quais são os 5 problemas mais comuns gerados por fiscalização em um salão de beleza. Confira abaixo!

Conheça abaixo 5 problemas gerados por fiscalização a salões de beleza!

Abriu um salão de beleza? Saiba que não basta apenas ter os equipamentos e trazer os clientes. Para funcionar, você precisa de uma série de autorizações e precisa mantê-las atualizadas para saber como agir quando chegar as fiscalizações na porta da sua empresa. Abaixo, trouxemos os 5 problemas mais comuns que vemos aparecer por aqui na Fênix Contabilidade e que poderiam ter sido evitados com uma assessoria adequada. Vamos lá!

1- Fiscalização da Prefeitura

A primeira coisa com a qual você deve se preocupar é com o Alvará de funcionamento que a prefeitura exige para qualquer estabelecimento comercial aberto. Mesmo que o seu salão seja muito escondido - às vezes até mesmo dentro de uma garagem em casa - você deve pedir autorização para mantê-lo aberto para o público em geral.
Se você recebe pessoas, tem endereço de atendimento e tem um espaço para atuar como salão, é fundamental que isso seja devidamente aprovado pela prefeitura da sua cidade. Vemos com bastante frequência os donos de salões menores não pensarem nesse tipo de obrigação e levarem multas pesadas, seja por causa de uma denúncia anônima ou até mesmo porque um fiscal passou pelo local e acabou percebendo que ali havia um espaço aberto ao público funcionando e sem o devido alvará para tal.
Lembre-se: é bem mais simples tirar sua autorização do que lidar com multas e restrições que se instalam após a comprovação da irregularidade. Por isso, providencie o alvará o quanto antes conversando com o seu contador de confiança para que ele te ajude.

2- Fiscalização Trabalhista

Engana-se quem pensa que o salão de beleza informal não tem obrigações trabalhistas. Se você contrata alguém e essa pessoa, por algum motivo qualquer, te denuncia por descumprimento de leis trabalhistas, é bem provável que ela irá ganhar a causa, trazendo um prejuízo enorme para o seu salão.
Mesmo quando não é o funcionário que faz a denúncia, é possível que um fiscal chegue em seu salão e pergunte sobre o registro dos funcionários que ali estão trabalhando. Então, para evitar qualquer tipo de problema, é fundamental sempre se preocupar em trabalhar dentro da lei, registrando as pessoas que trabalham diariamente no seu salão e fazendo contratos com aqueles prestadores de serviço mais esporádicos, que não ganham salário mas porcentagem por serviço. Seja qual for o acordo, é fundamental que isso esteja documentado e assinado pelo funcionário para que não haja nenhum problema para o seu salão. Todo cuidado é pouco quando falamos em multas trabalhistas porque a causa geralmente acaba sendo ganha pelo funcionário que apresentar algum tipo de queixa, afinal, é muito comum que o empregador acabe pecando por achar que pode economizar nesse sentido. E o barato sempre sai mais caro!

3- Fiscalização do Procon

O Procon costuma fiscalizar salões de beleza em todo o país, especialmente porque o número de reclamações é bastante alto. Entre os itens mais fiscalizados, os produtos que vão nos cabelos são os que mais geram multas pesadas para os empresários.
Por isso, cheque com frequência a validade dos produtos e observe se eles estão dentro da lei. Um exemplo clássico é a escova progressiva que, muitas vezes, tem excesso de formol, acima do que a legislação permite. Além de colocar seus funcionários e clientes em risco, se o Procon encontrar esse tipo de produto irregular, a multa é muito alta e pode gerar até mesmo a falência do negócio. Isso sem contar que esse tipo de multa dificilmente pode ser revertida, o que exige ainda mais cuidado dos salões.

4- Fiscalização da Vigilância Sanitária

Apesar de não comercializar comida, a vigilância sanitária também fiscaliza salões de beleza com uma certa frequência, especialmente para verificar as validades dos produtos e o estado do local de uma maneira geral. Salão sujo, seja na parte externa onde os clientes ficam, seja na área de funcionários, pode gerar uma multa grande ou uma notificação de reparação - nesse caso, o salão tem pouco tempo para se regularizar antes de levar uma multa ou ter as portas fechadas.
Como muitos dos clientes acabam chegando por passar na frente do salão, imagina ter uma notificação da vigilância sanitária na porta? Com certeza será péssimo para os negócios!

5- Fiscalizações dos fiscos em geral

Por fim, vale lembrar que um fiscal de qualquer departamento pode chegar ao seu salão e pedir o seu CNPJ e inscrição estadual. Se caso você tem trabalhado de maneira irregular, sem abertura de empresa, sem alvará e sem as autorizações, com certeza haverá uma interdição e um problema enorme para ser resolvido.

Evite todos os problemas gerados por fiscalização contratando uma contabilidade especialista em salões. Nos procure para que possamos conversar mais sobre a parceria que fazemos com esse tipo de negócio!

Gostou das dicas de hoje? Compartilhe nas redes sociais!

 

 

Comentários
Envie um comentário