Você sabe quais são os riscos de continuar trabalhando informalmente?

  • 59 dias
  • Fênix consultoria

Muitas pessoas ganham a vida trabalhando informalmente, às vezes por falta de informação dos riscos de se manter no mercado informal ou por medo de que os impostos sejam muito altos. Para te ajudar a entender melhor como a formalização funciona, separamos alguns dos principais riscos de trabalhar informalmente. Confira abaixo!

4 riscos de continuar trabalhando informalmente!

Separamos abaixo os 4 principais riscos que um profissional corre ao continuar trabalhando informalmente. Veja abaixo quais são e como eles impactam na sua vida profissional como um todo. Confira!

1- Não ter estabilidade financeira

Um dos principais riscos de continuar trabalhando informalmente é não ter a sua estabilidade financeira e isso acontece por vários motivos, como a falta de registro de entrada e saída de dinheiro, a falta de relatórios adequados e até mesmo o excesso de pagamento com impostos, já que não existe um controle maior sobre o que deve ser pago. Além disso, o impacto na vida financeira se dá por:

- Bitributação, que é quando um imposto é pago duas vezes por motivos de falta de controle adequado. A bitributação é mais comum do que muita gente pensa e traz uma série de gastos excessivos, que poderiam ter sido evitados.

- Multas: Quando estamos na informalidade, é extremamente comum esquecermos que os fiscos estão cada vez mais automatizados e que possuem sistemas capazes de cruzar todos os tipos de informações. Se você não está pagando seus impostos como devia, essa cobrança vai chegar cedo ou tarde e isso irá acontecer com o acréscimo de multas por não ter feito o pagamento da maneira correta. Essas multas podem ser altas e trazer muitos problemas financeiros para o trabalhador informal.

Esses são apenas alguns exemplos de como a informalidade afeta o profissional. Apesar de não parecer, ela é um risco alto no quesito financeiro e em outros que iremos citar abaixo.

2- Pagar impostos mais baixos

Aqui, vamos falar das vantagens de se formalizar por meio de um CNPJ, abandonando o status de profissional liberal ou de autônomo. Como muita gente já sabe, os profissionais autônomos pagam uma alíquota alta de imposto de renda, chegando quase a 27% da renda. No caso de quem tem um CNPJ, esse valor costuma ser até 10% a menos, o que impacta bastante na parte financeira de qualquer empresa, mesmo as menores.

Além do imposto de renda mais baixo, os impostos convencionais também são menores para quem é formalizado com CNPJ, afinal, as empresas costumam receber mais incentivo do governo para se manterem em pé.

Então, de maneira geral, pode ser extremamente vantajoso se formalizar como uma empresa ao invés de continuar atuando como profissional liberal ou mesmo como autônomo. De qualquer maneira, a formalização sempre será melhor do que se manter informal - se esse for o seu caso, pode ter certeza que pagar impostos agora é melhor do que pagar multas mais pra frente.

3- Não ter crédito aprovado

Um dos maiores riscos de continuar trabalhando informalmente é não conseguir comprovar renda e, com isso, não ter crédito aprovado, algo que é mais comum do que muita gente imagina. O crédito é essencial para qualquer empresa e não está ligado apenas ao cartão de crédito, mas também aos financiamentos e às possíveis compras que você possa querer fazer - e será impedido caso não consiga comprovar sua renda.

Muitas vezes, o banco pede o extrato bancário, mas em situações mais específicas, o profissional precisará comprovar renda de maneira mais formal, como com demonstrativos financeiros, por exemplo. Esse tipo de comprovação exige que a formalização aconteça por meio de uma contabilidade bem feita - ou seja, em muitos casos, os comprovantes comuns não garantem que o crédito será aprovado e apenas com os documentos completos é que isso será possível. Exemplos:

- Para comprar um imóvel, especialmente se for preciso financiar em muitas parcelas.

- Para locar um espaço, mesmo se ele for pequeno. Algumas imobiliárias estão alugando apenas com a comprovação de renda completa.

- Para ter acesso a empréstimos, mesmo que os governamentais, como é o caso do PRONAMPE.

4- Não ter direitos

Os direitos do trabalhador informal são praticamente inexistentes, diferente do que acontece com quem se formalizada, seja por meio de um CNPJ ou mesmo como Pessoa Física, trabalhando como autônomo ou como profissional liberal. Em todos esses casos, existe o pagamento de impostos, que trazem direitos, como:

- Aposentadoria, que será proporcional ao que for pago ao INSS. Alguns empresários optam por um piso maior, enquanto outros se mantém com o salário mínimo, que é o que será pago a todos que pagam o valor menor de contribuição. Mesmo com salário mínimo, ter acesso à aposentadoria é essencial para que o profissional tenha mais previsões futuras e possa ter uma vida tranquila após tantos anos de trabalho.

- Acesso à licença médica ou mesmo licença maternidade, algo que é essencial para quem quer uma vida profissional e, ao mesmo tempo, ter tranquilidade para qualquer tipo de necessidade que venha a surgir. Na informalidade, isso se torna impossível e qualquer ausência do trabalho se resumirá em falta total de renda.

Apesar de parecerem direitos pequenos comparados aos direitos do trabalhador registrado na CLT, eles ajudam muito em caso de necessidade e são fundamentais para uma vida mais tranquila e com a certeza do amparo caso algo aconteça.

Gostou das dicas de hoje? Compartilhe o texto com seus amigos e familiares nas redes sociais!

 

Comentários
Envie um comentário